domingo, 25 de julho de 2010

Starry, Starry night

“…Now I understand

What you tried to say to me

And how you suffered for your sanity

And how you tried to set them free

They would not listen

They did not know how

Perhaps they'll listen now

For they could not love you

But still your love was true

And when no hope was left inside

On that starry, starry night

You took your life as lovers often do

But I could have told you Vincent

This world was never meant for one as beautiful as you…”



Don McLean

quinta-feira, 22 de julho de 2010

Momento político

Hoje eu estava no twitter quando Marcelo Tas (considerado por mim um dos caras mais inteligentes da TV brasileira) postou algo sobre a desculpa da Dilma Rousseff, candidata à presidência pelo PT, em que ela não poderia comparecer aos debates da TV devido problemas em sua agenda. Eu, que entendo pouco de política e nem gosto de falar de política postei a seguinte frase: Nenhuma agenda é tão importante quanto um debate na Tv. A Dilma tem muito a esconder, e provavelmente teria tudo exposto. É medo.” Minha opinião clara sobre algo que é real. Todos nós sabemos quem são os candidatos, não adianta tapar o sol com a peneira, acho que o brasileiro está cansando de se enganado. Equívoco dizer que o debate na TV não é importante. Segundo estatísticas do IBGE (2008), cerca de 175 milhões (ou 92,4%) de pessoas com 14 anos ou mais tem o hábito de assistir televisão e 75,2 milhões (42,9%) o faziam por mais de três horas diárias. A TV é a maneira mais fácil de divulgar, expor, informar e influenciar alguém. Portanto, considerado o veículo de informação mais importante, juntamente com a internet, para um candidato que vai ser votado pelo povo. Como já disse, não entendo de política, não discuto política, mas a Dilma não é a candidata em quem eu votaria, respeito quem vota. E com as palavras de Marcelo Tas: “Não voto em quem foge de debate livre.” Mas este não é meu único motivo, mas não preciso ficar expondo motivos. Só queria dizer que odeio ir de quatro em quatro anos as urnas e perceber que nada mudou. Que os candidatos são os mesmos, cada um querendo garantir o seu emprego de deputado, prefeito, governador, senador, vereador, presidente. E durante o tempo de mandato, nada é feito. Culpa deles? Também. Mas a culpa maior é de nós brasileiros, que apesar de muitos levarem a política a sério, muitos brincam de votar, votam no fulano de fama de cinco minutos, votam no que doa mais cestas básicas, vota naquele que garantiu o seu emprego. Fico pensando se isso um dia vai mudar. Todos os candidatos na hora da campanha apresentam boas propostas que não saem do papel. Alguém já disse para eles que o brasileiro cansou de palhaçada? Espero que a galera vote consciente. Apesar de não termos boas opções de candidatos. E assumir a responsabilidade de que votou certo ou errado.

P.S.: E agradecer ao Marcelo Tas por retwittar o que escrevi e as centenas de pessoas que concordaram e as poucas que discordaram. E asseguro que respeito às mais diversas opiniões.

Ass: Adriana

segunda-feira, 12 de julho de 2010

Dos meus quereres...

"...Colo que acolhe
Braço que envolve
Palavra que conforta
Silêncio que respeita
Alegria que contagia
lágrima que corre
Olhar que sacia
Amor que promove..."

Cora Coralina

sábado, 3 de julho de 2010

By this River


video

Here we are stuck by this river
You and I underneath a sky
That's ever falling down down down
Ever falling down

Through the day as if on an ocean
Waiting here always failing to remember
Why we came came came
I wonder why we came

You talk to me as if from a distance
And I reply with impressions chosen
From another time time time
From another time.


Brian Eno